12 coisas para ver e fazer em Palermo e 2 n√£o fazer

12 coisas para ver e fazer em Palermo e 2 n√£o fazer
Palermo
12 coisas para ver e fazer em Palermo e 2 n√£o fazer

Em muitos aspectos, se aplica a Palermo o que j√° foi escrito sobre N√°poles. √Č uma cidade maravilhosa, repleta de monumentos, igrejas e obras de arte, atormentada por graves problemas sociais que se arrastam h√° muito tempo. Demais. Uma contradi√ß√£o √≥bvia que, no entanto, acaba por constituir mais um motivo de fasc√≠nio, visto que as dificuldades materiais nunca questionaram o senso de comunidade e apego √† sua terra. Em suma, Palermo, como N√°poles, √© um quebra-cabe√ßa sociol√≥gico e ainda uma bela cidade para visitar. N√£o surpreendentemente, em 2015, o centro hist√≥rico da cidade foi declarado Patrim√īnio da UNESCO. Nossa hist√≥ria come√ßa aqui, a partir das muitas maravilhas de Cidade √°rabe-normanda. Boa leitura.



1 a catedral

A Catedral de Palermo constitui quase um comp√™ndio perfeito da hist√≥ria milenar da cidade. Antes bas√≠lica crist√£ primitiva; ent√£o mesquita, no contexto da longa domina√ß√£o √°rabe; finalmente de novo igreja com os normandos. Quanto ao estilo, Ferdinando Fuga, arquiteto da corte de Carlos de Bourbon na segunda metade do s√©culo XVIII, imp√īs uma virada neocl√°ssica decisiva ao edif√≠cio, reduzindo em muito as marcas anteriores √°rabe-normandas, g√≥ticas e barrocas. No entanto, nem tudo foi perdido. Tra√ßos dos estilos anteriores s√£o evidentes na abside principal (√°rabe-normando), no portal da entrada principal (g√≥tico) e, novamente, na c√ļpula (barroco). Uma mistura de estilos que n√£o deixa indiferente, e aos quais o tumbas reais, incluindo o sarc√≥fago de Frederico II e, acima de tudo, o tumba de santa rosalia, padroeira da cidade.



Horas:
>> De segunda a s√°bado, das 7h / 00h
>> Domingos e feriados das 8h / 00h e das 13h / 00h
Entrada livre

Horas da √°rea monumental (Tumbas Reais, Tesouro, Cripta):
>> De segunda a s√°bado, das 9h / 30h

Hor√°rio dos telhados da catedral:
>> todos os dias 9h / 00h

Ingresso para toda a √°rea (tesouro - cripta, tumbas e telhados):
adultos 7,00 ‚ā¨ uro
Jovens (11-17 anos) 5,00 ‚ā¨ uro

2 Igreja da Martorana

Constru√≠da em 1143 pelo almirante Giorgio d'Antiochia, fiel servo do rei normando Rog√©rio II, a igreja Martorana √© uma das igrejas bizantinas mais fascinantes da It√°lia. H√° quem reivindique o mais belo de todos, tamb√©m pelo contraste entre o estilo √°rabe-normando, por isso est√° inclu√≠do no patrim√īnio protegido porUnesco, e as subsequentes adi√ß√Ķes barrocas do '600. Em 1433, Alfonso de Arag√£o cedeu a igreja ao mosteiro beneditino fundado pela nobre Eloisa Martorana. Da√≠ o nome da igreja, a refer√™ncia espiritual da numerosa col√īnia √≠talo-albanesa abrigada na Sic√≠lia entre os s√©culos XIII e XIV para escapar da pirataria turca. A igreja faz parte do patrim√īnio deEparquia de Piana degli Albanesi e apesar de estar sujeito ao Santa S√© segue o calend√°rio lit√ļrgico ortodoxo. As decora√ß√Ķes em mosaico no interior s√£o o ponto forte do edif√≠cio. Acima de tudo, o "Cristo pantocrator" no topo da c√ļpula. Uma representa√ß√£o t√≠pica da arte bizantina, com a b√™n√ß√£o de Cristo rodeado por quatro anjos prostrados em adora√ß√£o a seus p√©s. A Igreja da Martorana √© Aberto todos os dias, fora das fun√ß√Ķes sagradas. o bilhete custo total 2,00 ‚ā¨ (reduzido 1,00 para grupos de pelo menos 5 pessoas, maiores de 65 e estudantes, apresentando um bilhete do Circuito de Arte Sacra).



Horas:
>> De segunda a s√°bado, das 08h / 00h e das 13h00 / 15h
>> Domingos e feriados das 08h / 30h e das 09h / 45h

3 catacumbas dos capuchinhos

"O lugar onde os vivos encontram os mortos". Isso est√° escrito no site dedicado ao cemit√©rio de Convento dos Frades Capuchinhos de Palermo, e isso n√£o √© uma maneira de dizer. Ao contr√°rio, a frase esclarece bem o motivo pelo qual os frades come√ßaram a mumificar os cad√°veres: para dar aos familiares a possibilidade de continuar a encontrar-se com seus entes queridos, como se estes estivessem vivos. Tudo come√ßa com o costume dos frades capuchinhos da igreja de Santa Maria della Pace enterrar seus irm√£os em uma vala comum sob o altar dedicado a Sant'Anna. Um h√°bito que, no entanto, os obrigou posteriormente a cavar outros t√ļneis, dada a impossibilidade de continuar a agrupar os corpos sem vida em um espa√ßo que agora se tornou muito estreito. Foram, portanto, as exig√™ncias log√≠sticas que levaram os frades a descobrir que os corpos antes alojados na cova se encontravam em estado quase perfeito. Da√≠ a ideia de melhorar os processos de mumifica√ß√£o natural e estender essa pr√°tica √† burguesia de Palermo. Isso explica por que, do s√©culo XVII ao XIX, milhares de pessoas, na maioria not√°veis, decidiram entregar os corpos de seus defuntos aos Capuchinhos em troca de ricas doa√ß√Ķes. Essa pr√°tica terminou no in√≠cio de 900, com a exce√ß√£o significativa de Rosalia Lombardo, uma menina de dois anos de idade mumificada (mas artificialmente) a mando de seu pai e ainda alojada nas catacumbas. Para ser mais preciso, na capela de Santa Ros√°lia, no meio de outras duas mo√ßas. Rosalia Lombardo, a "A m√ļmia mais bonita do mundo", a "Bela Adormecida de Palermo" est√° l√° desde 1920!



As Catacumbas dos Capuchinhos estão abertas todos os dias do ano (inclusive feriados). Fechado nas tardes de domingo do final de outubro ao final de março.

Horas:

>> todos os dias 09.00 / 13.00 e 15.00 / 18.00

lugar
: www.catacombepalermo.it

4 Pal√°cio Norman e Capela Palatina

Palazzo dei Normanni √© muitas coisas. √Č o mais antigo resid√™ncia real da Europa; e a sede da Assembleia Regional da Sic√≠lia; √Č um de monumentos mais visitados na ilha; √©, enfim, o pr√©dio onde o maravilhoso est√° localizado Capela Palatina. Este √ļltimo, dedicado ao Ap√≥stolo S√£o Pedro, foi constru√≠do em 1130 por ordem de Roger II da Sic√≠lia. √Č um bas√≠lica de tr√™s naves famoso por eu Mosaicos bizantinos quem o afresco. O maior e mais famoso de todos √© o "Cristo pantocrator", motivo decorativo tamb√©m presente na igreja de Martorana. Tamb√©m muito bonito √© o teto de madeira com gravuras e entalhes que remetem ao longo dom√≠nio √°rabe na cidade. N√£o surpreendentemente, a Capela Palatina, juntamente com a catedral da cidade e as outras duas em Cefal√Ļ e Monreale, est√£o sob a prote√ß√£o deUnesco. Existem duas entradas para o Pal√°cio Norman. O principal, reservado ao poder p√ļblico, est√° em Pra√ßa do Parlamento; a tur√≠stica, por outro lado, est√° ligada Pra√ßa da Independ√™ncia.

Horas:
>> Segunda a s√°bado 8.15h17.40 / 17.00hXNUMX (√ļltimo ingresso XNUMXh)
>> Domingos e feriados 8.15 / 13.00 (√ļltimo bilhete 12.15)

bilhete (Capela Palatina, Apartamentos Reais)
cheio 12,00 ‚ā¨ uro
Ridotto 10,00 ‚ā¨ uro

5 Galeria regional do Palazzo Abatellis

Visite a Kalsa (do √°rabe al-Khalisa) significa visitar o que durante s√©culos foi o lugar privilegiado da pol√≠tica, das finan√ßas e da cultura em Palermo. Claro, ver tudo √© dif√≠cil, a menos que um C√≠cero local o leve para descobrir este bairro hist√≥rico (um dos quatro em que se divide o centro da cidade). Na verdade, h√° muito para ver, inclusive as contradi√ß√Ķes de que falamos no in√≠cio, ela espia, pelo menos do ponto de vista urbano, um conflito entre o presente e a mem√≥ria do passado. Pal√°cio mirto, Pal√°cio Abatellis e l 'Orat√≥rio dos Brancos s√£o os lugares onde o passado glorioso de Kalsa - e de Palermo - √© zelosamente guardado. O primeiro (Palazzo Mirto) foi durante quatro s√©culos o lar da fam√≠lia normanda mais antiga da Sic√≠lia, i Filangieri Condes de San Marco, depois Principi di Mirto. Palazzo Abatellis, por outro lado, √© um espa√ßo do museu com numerosas cole√ß√Ķes medievais, modernas e arqueol√≥gicas acumuladas principalmente durante o s√©culo XNUMX gra√ßas a legados privados e √† supress√£o de corpora√ß√Ķes religiosas. Por fim, o Orat√≥rio dei Bianchi, sede do Companhia Nobre, Prim√°ria e Real do Santo Crucifixo, onde, entre outras coisas, √© poss√≠vel admirar a porta de madeira "Bab el Fotik", rebatizada de "Porta della Vittoria" pelos normandos que acabaram com o longo dom√≠nio √°rabe na cidade.

Pal√°cio mirto (via Merlo, 2)
Horas:
>> Terça a Sábado 09.00 / 18.00
>> Domingo 09.00/13.00
Fechado às segundas-feiras

Pal√°cio Abatellis (via Alloro, 4)
Horas:
>>
Terça a Sábado 09.00 / 18.00
Fechado no domingo e segunda-feira

Oratório dos Brancos (Piazzetta dei Bianchi)
Horas:
>>
Terça a Domingo 09.00 / 13.00
Fechado às segundas-feiras

Bilhete combinado (v√°lido por 3 dias)
cheio
10.00 ‚ā¨ uro
Ridotto
5.00 ‚ā¨ uro

lugar: www.regione.sicilia.it/beniculturali/palazzoabatellis/home.htm

6 Fontana Pretória

No centro da pra√ßa hom√īnima, em frente √† prefeitura, fica o "Fontana Pretoria" ou, como o povo de Palermo chama, o "Fonte da Vergonha" por causa da nudez das est√°tuas ao redor (outros argumentam que a refer√™ncia √©, em vez disso, a corrup√ß√£o das classes dominantes locais dos s√©culos XVIII e XIX). Estamos sempre no Kalsa, do ponto de vista hist√≥rico-cultural, provavelmente o mais importante dos 4 bairros em que se divide o centro hist√≥rico da cidade. A hist√≥ria da Fontana Pretoria √© bastante singular, pois pretendia embelezar um jardim em Floren√ßa, para ser mais preciso o jardim de Don Luigi de Toledo que ele encomendou ao arquiteto Francesco Camillani a realiza√ß√£o do trabalho. A obra terminou em 1554 e, no entanto, em 1573 foi vendida a Senado de palermo - dizem - para fazer face √†s d√≠vidas acumuladas pela nobre fam√≠lia espanhola. O transporte de Floren√ßa a Palermo era bastante complicado. Algumas pe√ßas permaneceram em Floren√ßa; outros foram danificados ao longo do caminho. Para lidar com a reinstala√ß√£o da fonte (para dar lugar a ela, algumas casas foram demolidas) Camillo Camillani, filho do artista florentino que o projetou primeiro. Quanto √† estrutura, o chafariz assenta numa base oval, rodeada por uma balaustrada que cont√©m as restantes bacias: tr√™s posicionadas concentricamente umas sobre as outras, seguidas de outra s√©rie de dimens√Ķes menores. Quanto √†s est√°tuas, elas representam divindade e figuras mitol√≥gicas (H√©rcules, V√™nus, Apolo, Baco, Diana, Ad√īnis etc.). Na virada dos anos 90 e 00, um longo e complexo fase de restaura√ß√£o devolveu o esplendor √† Fontana Pretoria, garantindo mais uma vez, depois de anos, a circula√ß√£o da √°gua.

7 Catedral de Monreale

La Catedral de Santa Maria Nuova, mais conhecido como Catedral Monreale, √© mais uma etapa do roteiro √°rabe-normando em 2015 que passou a fazer parte do Patrim√īnio da UNESCO (a Catedral de Cefal√Ļ) Est√° localizado apenas 5 quil√īmetros de Palermo, bem no centro Pra√ßa Vittorio Emanuelee, do ponto de vista arquitet√īnico, √© um comp√™ndio perfeito da hist√≥ria civil, pol√≠tica e religiosa da Sic√≠lia. A marca normanda, ali√°s, bem vis√≠vel nos ricos mosaicos bizantinos que decoram o interior da igreja, contrasta com o gosto barroco do p√≥rtico que antecede a entrada, enquanto o altar-mor e o √≥rg√£o s√£o respectivamente do s√©culo XVIII e do s√©culo XVIII. '700. Em suma, mais de oitocentos anos de hist√≥ria encerrados em um √ļnico edif√≠cio de tr√™s naves e uma cruz latina erguida no s√©culo XII por Rei Guilherme II. Diz a lenda que foi l√° que mandou construir o templo madona que, aparecendo em sonho ao l√≠der normando, indicou a este um tesouro escondido do qual extrair os recursos necess√°rios para a realiza√ß√£o da obra. Seja o que for, a majestade do interior, incluindo os dois capelas do Crucifixo e de San Benedetto, n√£o deixa tanto indiferente √© a gra√ßa e espiritualidade que permeia os espa√ßos desta bela igreja ao sul de Palermo.

Hor√°rio de visitas:
>> dias da semana 8.30h12.30 / 14.30h17.00 e XNUMXhXNUMX / XNUMXh
>> feriados 8.30 / 10.00 e 14.30 / 17.00
Visitas n√£o s√£o permitidas durante as celebra√ß√Ķes

Para mais informa√ß√Ķes sobre pre√ßos de ingressos, reservas, visitas guiadas, etc: www.monrealeduomo.it

8 Os mercados da cidade

A palavra chave √© "Abbainare" express√£o que se refere √†s chamadas ruidosas dos vendedores dos mercados de Palermo. Uma linguagem publicit√°ria sui generis cheia de alus√Ķes e met√°foras, funcional para a venda dos produtos expostos. UMA liturgia, enfim, que se repete todos os dias nos tr√™s maiores mercados da cidade: o "Vucciria", "Eu vou dan√ßar" e "Cabe√ßa". Visitar esses lugares √© um exerc√≠cio essencial para aprofundar o "Genius loci" da capital siciliana, onde as influ√™ncias do longo ainda s√£o evidentes Domina√ß√£o √°rabe. Vest√≠gios que remetem para os termos utilizados para atrair compradores, mas tamb√©m para a capacidade dos mercados de acolherem cidad√£os n√£o comunit√°rios que nos √ļltimos anos abriram uma loja a par dos neg√≥cios hist√≥ricos. Em suma, o kebab com crocch√® e arancine. Em uma palavra: Mediterr√Ęneo.

9 comida de rua

N√£o est√£o sozinhos crocch√® e arancino. Palermo √© a capital italiana de comida de rua, completo com um evento dedicado no ano deExposi√ß√£o. o sanduiche com ba√ßo (meusa), lo sfincione (focaccia mole com tomate e caciocavallo), le entranhas de vitela (estigghione), le p√£o achatado frito com farinha de gr√£o de bico (painel) merecem ser comidos pelo menos uma vez na vida. N√£o √© apenas comida. √Č muito mais. √Č uma cultura popular a partir da qual, se desejarmos, podemos tra√ßar a hist√≥ria da cidade, as influ√™ncias francesas, espanholas, √°rabes e a forma como se derramaram nos pratos tradicionais. Portanto, n√£o estou dizendo para parar em uma peregrina√ß√£o em cada loja de fritura ... mas quase? Haver√° tempo para queimar o excesso de calorias! Al√©m disso, existe tamb√©m um site que informa "como" e "onde". Chama-se e, n√£o poderia ser diferente, www.crocche.it. Bon appetit!

10 a massa

N√£o √© s√≥ isso comida de rua. A confeitaria de Palermo, de acordo com alguns os melhores do mundo, merece ser tratado separadamente. cannoli, cassate, past√©is de am√™ndoa, o melancia gelada, s√£o mais do que caprichos. Pelo contr√°rio, s√£o uma pe√ßa importante da hist√≥ria a partir da qual √© poss√≠vel reconstruir o "Genius loci" Palermo. Na cidade existem v√°rias confeitarias excelentes, e na net n√£o faltam listas e sugest√Ķes com os melhores. Melhor ainda, uma vez na cidade, pe√ßa alguns conselhos locais. Em conclus√£o, "Coma local", como dizem os ingleses, porque o comida √© cultura!

11 praia de Mondello

Palermo tamb√©m √© uma cidade litor√Ęnea, ai de esquec√™-la. Portanto, uma visita √† cidade s√≥ pode contemplar um passeio Mondello, a praia de Palermo. areia Branca, mar cristalino, avenidas arborizadas, Vilas estilo Liberty, restaurantes, Barra, lojas, Instala√ß√Ķes de alojamento e tudo que um moderno precisa Resort tur√≠stico. Pode ser acedido confortavelmente por transportes p√ļblicos a partir do centro mas, se quiser, tamb√©m pode fazer o contr√°rio. Ficar √† beira-mar e seguir para Palermo para visitar museus, igrejas e monumentos. Durante o ver√£o, Mondello √© muito movimentado, enquanto na primavera, principalmente nos meses de Maio e junho o clima √© perfeito.

12 Ustica

Palermo, como j√° dissemos, √© tamb√©m uma cidade litor√Ęnea. O maravilhoso de Mondello, mas ainda mais o de Ustica, n√£o surpreendentemente apelidado de "a ilha dos mergulhadores" Mesmo que n√£o sejam mergulhadores experientes, n√£o se preocupem: o mar desta ilha, a pouco mais de uma hora de barco da capital siciliana, tamb√©m √© adequado para fam√≠lias com crian√ßas. Ustica, infelizmente famosa por Massacre DC9 de 1980, nos √ļltimos trinta anos ele tem feito muito para se emancipar dessa evento tr√°gico. Com o tempo, o Reserva natural e l '√Ārea mar√≠tima protegida salvaguardar e valorizar as m√ļltiplas especificidades ambientais desta pequena ilha do Mediterr√Ęneo. Portanto, especialmente no ver√£o, quando as conex√Ķes s√£o mais frequentes, quem visita Palermo far√° bem em visitar tamb√©m Ustica. Realmente vale a pena!

1 N√£o exiba objetos de valor em certas √°reas da cidade

Em algumas √°reas de Palermo, por exemplo i mercados, √© melhor n√£o se exibir objetos chamativos. √Č uma precau√ß√£o e nada mais, visto que o facto de estar em locais animados e frequentados √© a melhor garantia de seguran√ßa. No entanto, na multid√£o tamb√©m pode haver o mal-intencionado e, portanto, √© prefer√≠vel n√£o atrair a aten√ß√£o com joias, rel√≥gios valiosos, c√Ęmeras e SLRs caros. Al√©m disso: niente paura. O show est√° garantido! Viva Palermo, viva a Sic√≠lia, viva a It√°lia!

2 N√£o diga "arancino"

Em outro lugar, na Itália, você também pode dizer "arancino", mas não em Palermo, a arancina é mulher! Você sabia disso.


Adicione um coment√°rio do 12 coisas para ver e fazer em Palermo e 2 n√£o fazer
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.