11 coisas para ver e fazer em Chicago e 1 n√£o fazer

11 coisas para ver e fazer em Chicago e 1 n√£o fazer
Chicago
11 coisas para ver e fazer em Chicago e 1 n√£o fazer

Para grandeza, Chicago √© a terceira maior cidade dos Estados Unidos depois de Nova York e Los Angeles. Trata-se, portanto, de uma metr√≥pole de mais de dois milh√Ķes e meio de habitantes que chegam a nove milh√Ķes considerando a aglomera√ß√£o urbana ao redor. A paisagem √© tipicamente americana: dominando a cena est√£o os arranha-c√©us, mas n√£o faltam √°reas verdes e espa√ßos para pedestres. Men√ß√£o especial para m√ļsica: se voc√™ ama jazz e blues, esta cidade √© definitivamente o lugar certo para voc√™. √Č em Chicago, ali√°s, que o diretor John Landis fez o filme em 1980 "The Blues Brothers" com John Belushi e Dan Aykroyd, e √© sempre em Chicago que artistas do calibre de Muddy Waters e Buddy Guy. N√£o acabou, porque a cidade tamb√©m come√ßa rodovia mais famosa dos Estados Unidos, e provavelmente do mundo. Vamos falar sobre o Route 66, um dos mitos mais brilhantes de que"Modo de vida americano" que marcou profundamente a cultura ocidental. Abaixo vemos juntos as principais atra√ß√Ķes da cidade, algumas delas concentradas no Loop, o mais tur√≠stico dos bairros de Chicago. Boa leitura.



1 Millennium Park

As principais cidades dos EUA sempre foram o foco de grandes transforma√ß√£o urbana. Chicago n√£o √© exce√ß√£o. Em 1997, de fato, no impulso do ent√£o Prefeito Richard Michael Daley uma enorme √°rea no cora√ß√£o da cidade foi transformada em Parque p√ļblico, pondo fim ao controle secular sobre ele pelo Companhia ferrovi√°ria da Illinois Central Railroad. Em vez de trilhos e estacionamentos, eles rapidamente ganharam vida e forma trabalha com um design ultramoderno que certamente n√£o t√™m lutado para se estabelecer como uma atra√ß√£o tur√≠stica. Falamos em particular do Pavilh√£o Jay Pritzker, o Fonte da coroa e Portal das Nuvens, os tr√™s carros-chefe do Millennium Park de Chicago. O primeiro √© um pavilh√£o de m√ļsica projetado pelo arquiteto Frank Gehry, √† qual a cidade tamb√©m deve a constru√ß√£o da Ponte BP que liga o Parque Maggie Daley ao Parque Millennium. Principalmente na primavera e no ver√£o nesta estrutura com ac√ļstica excepcional, performances que v√£o desde jazz, indie rock, blues (todos os anos, na primeira semana de junho, o Chicago Blues Festival √© realizado no Millennium Park) A fonte da coroa, por outro lado, √© composta por duas torres quadradas em cujas fachadas principais est√£o projetados os rostos de mil cidad√£os de Chicago. No ver√£o, a √°gua da fonte jorra da boca de cada um desses rostos. Um detalhe que atrai muitos turistas, justamente intrigados pelo efeito √≥ptico. Por √ļltimo, mas n√£o menos importante, o Cloud Gate, tamb√©m conhecido como "O feij√£o" ("O feij√£o") Esta √© uma escultura de prata do artista Anish Kapoor, cujas paredes refletem o c√©u e o horizonte da cidade (ver foto). Na verdade, h√° muito mais para ver no Millennium Park: apontamos, en passant, o Jardim Lurie e McCornick Tribune Ice Rink (ringue de patinagem). Para saber mais sobre a hist√≥ria e outros pontos de interesse do parque, consulte Site oficial: www.millenniumpark.org.



2 Michigan Avenue

E a Rua comercial de Chicago, um real templo do consumismo com mais de 400 lojas, incluindo v√°rias marcas importantes de moda e dell 'oi-tech. Justamente por essa voca√ß√£o ultra comercial tamb√©m √© conhecido como "The Magnificent Mile", e √© sem d√ļvida uma das coisas para ver em Chicago. No entanto, seria simplista focar a aten√ß√£o apenas nas vitrines: Michigan Avenue, na verdade, abriga alguns dos arranha-c√©us mais importantes da cidade. Entre outros, o Edif√≠cio Wrigley, para cuja forma nos inspiramos inclusive a Giralda, a estupenda torre sineira da Catedral de Sevilha; ent√£o o Torre de √°gua, entre os poucos edif√≠cios que sobreviveram ao terr√≠vel inc√™ndio que arrasou a cidade em 1871; e especialmente o Torre John Hancock, outra parada imperd√≠vel que discutiremos com mais detalhes no restante do artigo. Primeiro, no entanto, precisamos nos concentrar emInstituto de Arte (veja o pr√≥ximo ponto), um aut√™ntico carro-chefe de Chicago, tamb√©m, a prop√≥sito, com sede na Michigan Avenue. Para mais informa√ß√Ķes: www.themagnificentmile.com


3 Instituto de Arte

Colete, preserve e interprete obras de arte da mais alta qualidade de diferentes contextos e √©pocas. Esta √©, em suma, a miss√£o do Art Institute of Chicago desde a sua funda√ß√£o em 1879. E que as coisas realmente aconteceram assim, n√£o h√° d√ļvida, dada a fama global adquirida ao longo do s√©culo XX. Para citar apenas alguns dos artistas presentes, sem pretender ser exaustivos: Monet, Manet, Chagall, Dal√¨, Picasso, Wahrol, Wood, Seurat e Hopper se sucedem nas infinitas salas deste museu a apenas um quil√īmetro do Millennium Park. Ver tudo leva muitas horas e, justamente para atender quem tem pouco tempo, o museu organizou um pequeno roteiro que rev√™ apenas algumas das obras da exposi√ß√£o permanente. Os artistas mencionados est√£o todos l√°, incluindo Edward Hopper com seu famoso "Nighthawks" ("The Nightwalkers"), uma das pinturas que mais marcaram (e n√£o s√≥) a arte contempor√Ęnea americana durante o s√©culo XX. Em suma, o Art Institute √© realmente uma parada imperd√≠vel em uma viagem a Chicago, at√© porque, apesar da fama, quase nunca √© necess√°rio fazer reservas com anteced√™ncia, nem enfrentar filas sem fim. Para mais informa√ß√Ķes sobre hist√≥ria, obras expostas, hor√°rios e formas de visita, consulte o Site oficial: www.artic.edu.



4 Willis Tower

Segundo arranha-c√©u nos Estados Unidos, precedido apenas pelo One World Trade Center em Nova York, Willis Tower √© outra parada essencial em uma visita a Chicago. Raz√£o? O Espetacular Skydeck no 103¬ļ andar. S√£o quatro varandas feitas de pain√©is de vidro e a√ßo que se projetam no lado oeste do edif√≠cio dando aos visitantes a sensa√ß√£o de estarem suspensos no ar. Uma atra√ß√£o que atrai anualmente quase dois milh√Ķes de visitantes que, al√©m da experi√™ncia adrenalina, apreciam muito a vista que se pode avistar deste mirante. O panorama, de fato, n√£o abrange apenas o horizonte de Chicago, mas, em dias particularmente claros, chega a 4 estados: Illinois, Indiana, Wisconsin e Michigan. Em suma, uma experi√™ncia verdadeiramente extraordin√°ria para a qual, dada a extraordin√°ria aflu√™ncia, o Reserva antecipada. Para obter mais informa√ß√Ķes sobre a Willis Tower (tamb√©m conhecida como "Torre Sears") consulte o local: theskydeck.com.

5 John Hancock Center

Uma das quest√Ķes mais debatidas turisticamente em Chicago √© qual - entre a Willis Tower e o John Hancock Center - √© o arranha-c√©u com a vista mais bonita. Nem √© preciso dizer que, para ter uma ideia pr√≥pria, √© preciso ver os dois, circunst√Ęncia que est√° longe de ser inconveniente, visto que s√£o belas experi√™ncias. H√° tamb√©m outra raz√£o pela qual vale a pena ver esses edif√≠cios de perto: ambos foram projetados pela mesma empresa, la "Skidmore, Owings and Merrill", e pelos pr√≥prios arquitetos, Fazlur Khan e Bruce Graham. Voltando √† quest√£o inicial, pode-se dizer que a vis√£o deobservat√≥rio no 94¬ļ andar do John Hancock Center encontra menos obst√°culos do que o outro arranha-c√©u. Um efeito positivo, de fato, √© o Lago Michigan, que ocupa uma parte importante da vista. Um detalhe particularmente significativo em dois casos: ao p√īr-do-sol e no meio de uma tempestade, ainda melhor se temperado com raios e raios. Outro detalhe digno de nota √© o TILT, vidro de parede inteira que se inclina horizontalmente em dire√ß√£o √† Michigan Avenue dando aos visitantes a impress√£o de estarem suspensos no espa√ßo. A gama de experi√™ncias de adrenalina em 360 ¬į Chicago (este √© o nome do ponto de observa√ß√£o do Centro John Hancock), por√©m, n√£o termina a√≠. Na verdade, todos os dias h√° novidades, principalmente para os amantes da fotografia e da pintura. Para obter mais informa√ß√Ķes, consulte o local: 360chicago.com.


6 Navy Pier

No in√≠cio, falamos do Millennium Park como um projeto de transforma√ß√£o urbana de sucesso, capaz de mudar a cara da cidade para melhor. Bem, esse n√£o √© o √ļnico exemplo virtuoso desse tipo que pode ser dado sobre Chicago. Ai de esquecer o Navy Pier, Aantigo cais municipal, desde a d√©cada de 90 do s√©culo passado, principal atra√ß√£o tur√≠stica da cidade. Os n√ļmeros falam por si: em 2016, ano do centen√°rio, o n√ļmero de visitantes ultrapassou os 9 milh√Ķes. Na verdade, h√° muitas coisas para ver e fazer nesta √°rea de cerca de um quil√īmetro que acompanha o Lago Michigan. A partir de roda gigante, Para Teatro de Chicago Shakespeare passando pelo passeios de alta tecnologia neste espa√ßo h√° divers√£o garantida para todos: adultos e crian√ßas. Principalmente o √ļltimo, na verdade, considerando a presen√ßa nas proximidades tamb√©m do Museu Infantil de Chicago. Durante o ver√£o, n√£o perca os espetaculares fogos de artif√≠cio que iluminam as margens do lago criando uma atmosfera √ļnica. Voltando ao discurso inicial, o Navy Pier nos √ļltimos anos est√° no centro de uma nova reformula√ß√£o que visa aliar a popularidade alcan√ßada a uma maior sustentabilidade ambiental. Para obter mais informa√ß√Ķes, consulte o Site oficial: navypier.org.

7 Museu de Arte Contempor√Ęnea

Al√©m do Art Institute, o panorama do museu de arte de Chicago tamb√©m inclui o Museu de Arte Contempor√Ęnea (MCA). Este museu nasceu no final dos anos 60 do s√©culo passado com o objetivo de aproximar o p√ļblico da arte contempor√Ęnea. Para atingir este objetivo, v√°rias iniciativas foram postas em pr√°tica ao longo dos anos, incluindo a realiza√ß√£o de exposi√ß√Ķes em que o artista, juntamente com as obras acabadas, exp√Ķe tamb√©m as obras ainda n√£o acabadas, talvez, quando existam as condi√ß√Ķes, usando precisamente os espa√ßos do museu para a sua conclus√£o. Por√©m, quando isso n√£o for poss√≠vel, o uso da tecnologia n√£o √© menosprezado na prepara√ß√£o de exposi√ß√Ķes multim√≠dia. N√£o acaba aqui, pois o envolvimento do p√ļblico tamb√©m passa por confer√™ncias, simp√≥sios, mesas redondas em que a discuss√£o sobre pintura, escultura, fotografia inevitavelmente, ela se estende ao contexto local (o papel da arte contempor√Ęnea em Chicago) e global (o papel da arte contempor√Ęnea no mundo). Para mais informa√ß√Ķes: www.mcachicago.org. Finalmente um curiosidade: cerca de uma milha do museu √© oMans√£o Playboy Original, o edif√≠cio onde em 1959 come√ßou a epopeia da revista do mesmo nome com os famosos "coelhos". Mais tarde, Hugh Hefner, o criador de "Playboy" mudou sua sede e neg√≥cios para Los Angeles. Para ver!

8 Lincoln Park

Il Maior parque p√ļblico de Chicago √© uma v√°lvula de escape importante para os residentes que a encontram aqui solu√ß√Ķes diferentes para lazer. D√™ jardim zool√≥gico, a praias √† beira do lago, passando pelo Museo Storico e Mercado de frutas e vegetais, as coisas para ver e fazer s√£o muitas, entendendo-se que a mudan√ßa das esta√ß√Ķes afeta as atividades que podem ser praticadas ao ar livre. Inevit√°vel, portanto, incluir o parque e o bairro de mesmo nome entre as paradas imperd√≠veis em uma viagem a Chicago, principalmente para quem viaja com seus filhos. Tamb√©m vale a pena ver o mausol√©u dedicado a Abraham Lincoln. A est√°tua, chamada "Standing Lincoln", descreve o 16¬ļ presidente dos Estados Unidos absorto em seus pensamentos antes de fazer um de seus famosos discursos. Arte orat√≥ria refinada pela pr√°tica de advocacia no estado de Illinois; esta √© uma circunst√Ęncia que Abraham Lincoln tem em comum com outro presidente dos Estados Unidos: Barack Obama. A n√£o perder!

9 Wrigley Field

Voc√™ n√£o precisa ser um f√£ de beisebol para visitar Wrigley Field. Na verdade, apesar de ser a casa dos Chicago Cubs, a popularidade do pr√©dio vai al√©m do aspecto esportivo. O "Friendly Confines" ou "Parque dos Cubs", como √© chamado, est√° localizado ao norte da cidade, na regi√£o de Lake View, e entre suas peculiaridades est√° precisamente o fato de ser um com a vizinhan√ßa em que se situa. Para entender melhor do que estamos falando, basta considerar que as coberturas dos pr√©dios ao redor do est√°dio desde a d√©cada de 80 foram transformadas em "Bar-restaurante esplanadas" ("Assentos na cobertura") onde, mediante o pagamento do ingresso, voc√™ pode assistir a um jogo do Cubs ou, melhor ainda, a um dos shows que ali acontecem periodicamente. Por ter se apresentado neste est√°dio, entre outros, eu Pearl Jam, cujo frontman, Eddie Vedder, natural de Chicago, √© f√£ do time. T√£o apaixonado que fez um document√°rio, "Vamos jogar dois", em que sua hist√≥ria se cruza com a da equipe no ano da conquista do t√≠tulo da Major League (2016) ap√≥s um jejum de mais de 100 anos. Para obter mais informa√ß√Ķes, consulte i locais: www.cubs.com e www.wrigleyrooftopsllc.com.

10 606 Trail

A hist√≥ria da 606 Trail √© muito semelhante ao de New York High Line. A linha ferrovi√°ria elevada abandonada que gra√ßas a parceria virtuosa entre p√ļblico e privado, √© transformado em parque urbano dispon√≠veis para residentes e turistas. Um espa√ßo p√ļblico projetado e organizado para conectar pessoas ("Conector da comunidade") atrav√©s do esporte e da cria√ß√£o de eventos. Cerca de 4 quil√īmetros de percurso no lado norte da cidade - entre Wicker Park e Pra√ßa Logan - onde at√© a d√©cada de 80 do s√©culo passado existiam as vias onde circulavam os comboios de mercadorias e onde, em vez disso, desde o in√≠cio do mil√©nio voc√™ pode andar de bicicleta, correr, caminhar ou, por que n√£o, sentar em um banco e relaxar. Talvez em conjunto com alguma exposi√ß√£o tempor√°ria ou algum outro evento p√ļblico. Para obter mais informa√ß√Ķes, consulte o local: www.the606.org.

11 Field Museum of Natural History

Il Museu de Hist√≥ria Natural (FMNH) √© outra parada imperd√≠vel nas f√©rias em Chicago. Raz√£o? A presen√ßa, no piso principal do museu, de Processar, o maior esp√©cime de Tiranossauro Rex nunca encontrado (veja a foto). Uma atra√ß√£o que fascina adultos e crian√ßas pela capacidade dos curadores em aliar o interesse cient√≠fico ao esp√≠rito popular. A prop√≥sito, Sue n√£o √© o √ļnico dinossauro l√°. L√° Exposi√ß√£o "Evolving Planet", no segundo andar do museu, abriga outros esqueletos de "lagartos" que viveram h√° milh√Ķes de anos. Isso n√£o √© tudo. Na verdade, grande espa√ßo tamb√©m √© dedicado √† exposi√ß√£o "Por dentro do Egito Antigo". √Č uma s√©rie de m√ļmias eg√≠pcias perfeitamente preservadas, das quais, atrav√©s do uso de ferramentas de pesquisa tecnol√≥gica n√£o invasiva, foi poss√≠vel descobrir detalhes e detalhes at√© ent√£o desconhecidos. Quanto aos dinossauros, tamb√©m neste caso, h√° outros testemunhos muito interessantes: m√ļmias do Tibete, do Peru e das ilhas do Pac√≠fico, cujo estudo comparativo permitiu encontrar afinidades extraordin√°rias entre culturas a milhares de quil√īmetros umas das outras. Resumindo, o Field Museum of Natural History em Chicago vale absolutamente uma parada, especialmente porque h√° duas outras atra√ß√Ķes muito populares a 500 metros: oaqu√°rio (Aqu√°rio John G. Shedd) E o planet√°rio (Adler Planetarium) A cada ano, essas tr√™s estruturas atraem milhares de visitantes, contribuindo muito para a fama do turista de Chicago. Para ver!

1 Cuidado com os batedores de carteira

As mesmas precau√ß√Ķes se aplicam a Chicago como a todas as outras metr√≥poles do mundo: n√£o corra com muito dinheiro; n√£o carregue a carteira no bolso de tr√°s das cal√ßas; n√£o deixe a bolsa desacompanhada √† mesa da sala; n√£o use rel√≥gios, an√©is, pulseiras, brincos particularmente caros; evite o transporte p√ļblico √† noite e assim por diante. Quanto ao resto, n√£o se preocupe: basta evitar as zonas perif√©ricas para evitar qualquer perigo. Com efeito, os habitantes de Chicago conseguiram at√© transformar a fama "criminosa" ligada √†s fa√ßanhas de Al Capone em atrac√ß√£o tur√≠stica: h√° anos, de facto, existe a possibilidade de marcar uma visita guiada que remonta alguns dos mais. lugares sinistramente famosos da d√©cada de 20 em Chicago. A turn√™, com atores vestidos com roupas de √©poca, se move entre a realidade e a fic√ß√£o, alternando eventos reais com outros, em vez disso, emprestado do filme de sucesso de Brian De Palma "Os Intoc√°veis" com Robert De Niro (no papel do gangster americano italiano ), Kevin Costner, Sean Connery e Andy Garcia. Para obter mais informa√ß√Ķes, consulte o local: gangstertour.com.


Adicione um coment√°rio do 11 coisas para ver e fazer em Chicago e 1 n√£o fazer
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.

End of content

No more pages to load